quarta-feira, 28 de junho de 2017

Grandes vultos: Floriano Peixoto - Parte 03.


A Revolta da Armada


GRANDES VULTOS BRASILEIROS QUE MARCARAM A HISTÓRIA NAS SUAS MAIS DIVERSAS ATIVIDADES
FLORIANO PEIXOTO – PARTE 03
Em 1889 Floriano era Ajudante General do Exercito – posto que hoje corresponde a Chefe do Estado-Maior. Não acreditava no êxito da conspiração republicana. Carecia, porém, de convicções monárquicas. Assim, a atitude que adotou foi – como ele próprio disse – a de “carneiro de batalhão”.
Inegavelmente, o Exercito sentia-se muito mais identificado a Floriano que a Deodoro. Floriano era a competência técnica, a coragem tranquila. Deodoro acreditava nos olhares fulminantes, nas barbas belicosas, na espada desembainhada, rutilante ao sol em cargas teatrais de cavalaria. Um romântico.
Antes de dissolver o Congresso a 3 de novembro de 1891, Deodoro consultou Floriano perguntando-lhe que atitude assumiria:
– Manoel – respondeu-lhe Floriano – eu sou carneiro de batalhão. Para onde vai o batalhão vai o carneiro.
– O Exercito está comigo.
– Está? Eu sigo junto. Sou carneiro de batalhão.
Custódio José de Melo
 Vinte dias depois, Custódio José de Melo revoltava a esquadra contra Deodoro e ele renunciava, passando o poder a Floriano. Aí, deixou Floriano de ser carneiro de batalhão para se tornar “comandante do batalhão”. A coisa mudava de aspecto. O comandante e não o carneiro é que traça o itinerário a seguir. Custódio José de Melo não percebeu isso. A 6 de setembro de 1893 revolta de novo a esquadra esperando de Floriano atitude igual à de Deodoro em 1891. Erro fatal. Até então, governo algum do Brasil resistira a um pronunciamento militar: nem D. Pedro I, nem D. Pedro II, nem Deodoro. Mas agora estava no poder um homem que exigia respeito ao princípio de autoridade. Bloqueou a esquadra impedindo-a de desembarcar tropas, confinando-a na baía da Guanabara. Ninguém acreditava que Floriano vencesse: só ele. Cria em si mesmo. Os que supunham que ele jamais impediria os revoltosos de se apossarem de Niterói desenganaram-se quando do ataque ao forte da Armação.
Continua
GONDIN DA FONSECA
Visite também:
Clicando aqui:

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...